Saúde feminina no inverno: cuidados para uma vida cada vez melhor!

Com a chegada do inverno, é comum que os problemas relacionados à baixa temperatura. É importante estar atento à todos os incômodos à saúde feminina no inverno.

Para ajudar a manter uma boa saúde neste inverno, separamos os principais problemas que podem afetar as mulheres e como fazer para preveni-los.   

Saúde da pele e dos cabelos

É comum pensarmos que os cuidados com a pele no verão devem ser redobrados, mas normalmente esquecemos que no inverno nossa pele também sofre com as baixas temperaturas.

Tomar banho com água muito quente resseca a pele, pois a alta temperatura da água remove a oleosidade natural da pele, deixando um aspecto ressecado, podendo, a longo prazo, surgir placas vermelhas e causar coceira. Além disso, a pele fica desidratada, o que faz com que nosso corpo e, principalmente, nosso rosto fique mais oleoso que o habitual, pois a pele encontra-se desprotegida e há um aumento na produção sebácea como forma de equilíbrio.

Esse problema também pode afetar o cabelo, pois a alta temperatura da água deixa os fios sensíveis, trazendo um aspecto ressecado e quebradiço, principalmente nas pontas, além de haver maior embaraçamento e do aumento de oleosidade no couro cabeludo.

  • O uso de hidratantes nos meses frios do ano devem ser regulares, assim como o cuidado com os lábios e nariz, evitando o ressecamento.
  • A temperatura ideal da água é morna, visto que assim não agride tanto nossa pele e cabelo.

Infecção urinária

A infecção urinária, que afeta principalmente as mulheres, ocorre quando há presença anormal de microrganismos no percurso do trato urinário, causado pela presença de bactérias no trato gastrointestinal que migram até a região da bexiga pela relação sexual e, às vezes, pode ocorrer pela circulação sanguínea.

Os principais sintomas da infecção urinária são:

  • Ardor ao urinar;
  • Irritação vaginal;
  • Maior frequência urinária;
  • Urina com coloração mais forte;
  • Mau cheiro na urina.

Podendo haver também sangue na urina, dores no corpo e/ou na região afetada, além de mal-estar.

Cuidados com a higiene íntima devem ser regulares, principalmente no inverno, pois nos períodos mais frios do ano as pessoas tendem a cuidar menos da higiene íntima, o que aumenta as chances de desenvolver um problema como esse.

Formas de prevenir a infecção urinária:

  • Ingestão de líquidos;
  • Realização da micção antes e, principalmente, depois das relações sexuais;
  • Evitar a contenção de urina;

Candidíase

Candidíase ou doença de Candida é uma infecção genital muito comum entre as mulheres, sendo causada por um fungo (cândida albicans ou Monília), que pode se alojar na pele, boca, intestino e no órgão genital feminino.

Geralmente é alojado no órgão genital feminino, causando um corrimento esbranquiçado e espesso, que muitas vezes pode ocasionar irritação e coceira no local, mas podendo não ter sintomas em algumas pessoas. O fungo responsável pela candidíase pode estar na flora vaginal, o que as vezes acarreta no problema, quando há baixa de imunidade ou resistência vaginal.

A prevenção da candidíase é feita através de:

  • Uso de preservativos;
  • Alimentação saudável;
  • Higiene pessoal adequada e pele devidamente seca após o banho.

No inverno, o cuidado deve ser redobrado, principalmente com o uso de roupas muito justas ou sintéticas, com o uso frequente de absorventes, evitar duchas vaginais em excesso e do papel higiênico perfumado.

Corrimento ou Vaginite

Outro problema comum é o corrimento ou vaginite, que consiste em uma secreção com odor desagradável, que pode ser normal ou anormal, provocado por infecções vaginais, vulvites e vulvovaginites, DST’s e infecções cervicais ou do colo do útero.

  • Corrimento normal: é repleta de substâncias que se assemelham ao soro sanguíneo, tendo aspecto translúcido, levemente esbranquiçado.
  • Corrimento anormal: é semelhante ao corrimento normal, sua principal característica é o odor marcante e sua coloração diferente.

O corrimento também pode causar incômodos durante as relações sexuais, pois isso, é preciso ficar atento aos sintomas. Evitar situações de estresse, manter boa higiene pessoal e boa alimentação pode ajudar na prevenção.

O acompanhamento médico, em todos os casos, é fundamental para a realização do diagnóstico e para um tratamento adequado. Fazer visitas regulares ao especialista é extremamente importante para a manutenção da sua saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *